Sarcófago de 2000 anos é aberto durante transmissão ao vivo de TV

Publicidade

Um sarcófago contendo um sumo sacerdote egípcio foi aberto na TV ao vivo durante uma transmissão especial de duas horas do canal americano Discovery.

“Expedition Unknown: Egypt Live” foi ao ar a partir de Minya, que fica ao longo do rio Nilo, ao sul do Cairo e suas pirâmides de Gizé.

Publicidade

Arqueólogos descobriram recentemente uma rede de poços verticais no local que levaram a túneis e túmulos contendo 40 múmias “que se acredita serem parte da elite nobre”.

Depois de explorar outras tumbas – encontrando artefatos como estátuas, amuletos, jarras canopianas usadas para armazenar órgãos e outras múmias, incluindo uma que se decompora em um esqueleto -, eles foram até a câmara contendo o sarcófago intrincadamente esculpido.

ESPECIALISTAS ACREDITAM QUE UMA DAS MÚMIAS PERTENCEU A UM SUMO SACERDOTE (FOTO: DISCOVERY/DIVULGAÇÃO)

Várias pessoas tiveram que ajudar para abrir.

E os esforços da equipe não tinham sido desperdiçados: dentro do sarcófago havia uma múmia com lençóis de linho, cercada por tesouros que incluíam ouro.

Publicidade

“Eu não posso acreditar nisso, isso é incrível”, exclamou Zahi Hawass, um arqueólogo egípcio e ex-ministro de Antiguidades, que havia assumido a expedição com o explorador americano Josh Gates, como anfitrião da transmissão.

‘Como um enterro real’

Gates disse que a múmia era a de um sumo sacerdote de Thoth, o antigo deus egípcio da sabedoria e da magia, e datava da 26ª dinastia do Egito Antigo – a última dinastia nativa a governar até 525 aC.

“Perto do fim do antigo Egito, o poder realmente estava com os sumos sacerdotes e você pode ver isso … quase parece um enterro real”, disse Gates.

O presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi supervisionou a repressão aos dissidentes, proibindo protestos e encarcerando islamitas e ativistas liberais e seculares.

Veja o vídeo:

Cairo tem procurado promover descobertas arqueológicas em todo o país em uma tentativa de reviver o turismo atingido pela turbulência após a revolta de 2011 contra Hosni Mubarak.

A transmissão da Discovery também vem com interesse global na arqueologia egípcia gerada por uma exposição “uma vez em uma geração” sobre o faraó Tutancâmon, que estreou em Paris no mês passado e fará um tour pelo mundo.

[Phys.org]

Publicidade

Share