fbpx

Conheça a história do sniper “Morte Branca”, que sozinho tirou mais de 540 vidas

Publicidade

Quanto tratamos sobre guerras, é muito importante que os envolvidos estejam preparados para desempenharem seus papeis nem nível de perfeição, pois as missões precisam ser concluídas com o máximo de sucesso possível.

Pode-se dizer, inclusive, que apenas um tiro pode mudar a história para o bem ou para o mal, nessa perspectiva os atiradores de elite ganham destaque. Um dos mais famosos deles, foi Simo Häyhä.

Publicidade

Ele nasceu na Finlândia em 17 de dezembro de 1905, mas ficou conhecido mesmo pelo apelido “Morte Branca”. Estima-se que esse famoso atirador, tenha matado mais de 540 pessoas durante sua carreira, o que explica a sua grande fama.

O número correto não é conhecido, já que as fontes divergem entre 545 e 542 pessoas e o finlandes nunca quis falar sobre isso publicamente. Na verdade, Simo apenas menciona em se diário que matou mais de 500 homens do Exército Vermelho na Guerra de Inverno.

Publicidade

Sua terra natal, Rautjärvi, que tem apenas 3 mil habitantes, tem como acontecimento histórico famoso, apenas o nascimento do sniper. Quando morreu em 2002, foi sepultado na Carélia do Sul, o local é visitando por centenas de fãs para prestar homenagens.

Outro ponto interessante da história de Simo, é que ele alcançou seus números principalmente durante a Guerra de Inverno (1939-1940), onde o frio era um complicado extra, as temperaturas chegavam a -40°C. A neve foi o cenário, então, para a maioria de suas batalhas, onde acostumou a se vestir de branco para se camuflar e daí surgiu o seu apelido que foi eternizado “Morte Branca”.

E embora tenha ficado famoso por ser o sniper mortal, Simo sempre foi conhecido por ter um grande coração. Os que conviveram com ele apontam que realizou vários trabalhos voluntários e que não aceitava ensinar crianças a atirar.

Ele faleceu em 1° de abril de 2002, em um abrigo especial para veteranos de guerra em Ruokolahti, aos 97 anos.

Publicidade

Share