Confira a triste história do casal de idosos que morreram juntos no Titanic

0 520
Publicidade

Já faz 20 anos que o clássico filme “Titanic” foi lançado nos cinemas. O filme capturou a verdadeira história do trágico afundamento do gigante cruzeiro e retratou os trágicos acontecimentos de pessoas que enfrentaram a morte ao ponto de seus entes queridos desistirem da vida. A maior parte do filme foi baseada na história de amor entre Jack Dawson e Rose Dewitt Bukater.

Publicidade

Jack era da seção de classe inferior do navio e Rose era da seção de primeira classe do navio. Uma descrição verdadeira de como os opostos podem se atrair. Infelizmente, a história de amor, como você sabe, acabou em tragédia.

Publicidade

Contudo, como muitos filmes, há cenas que deixamos passar porque sentimos que não desempenham um papel importante no enredo principal. Por exemplo, a cena em que um casal de idosos estavam aconchegados na cama no quarto enquanto o navio estava afundando.

Se você não se lembra da cena, ela ocorre próxima ao meio do filme e é quando a água está começando a ultrapassar todo o navio. O casal está se abraçando enquanto seu quarto se enche de água.

Algumas pessoas chegaram a classificar a morte do casal como uma das maiores mortes no filme. O que é ainda mais triste é que esta cena no filme não é exagerada: ela retrata exatamente o que aconteceu com o casal na vida real.

Se você está se perguntando quem é esse casal, seus nomes são Isidor e Ida Straus. Eles eram cidadãos de primeira classe e eram muito respeitados pelos outros passageiros no navio. Na época, Isador era co-proprietário da rede de lojas Macy’s. Ele também passou um breve período de tempo como membro da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos.

O casal se casou em 1871 e eram algumas das pessoas mais ricas que estavam no navio. Devido a isso, eles receberam tratamento especial que incluía uma das cabines mais luxuosas que o navio tinha para oferecer. Mas eles ainda eram modestos no coração, apesar de tudo isso.

Isidor e Ida estavam voltando de suas férias na França quando o Titanic atingiu o iceberg. Assim que ficou claro que o navio iria afundar, pessoas de todas as classes correram para as embarcações salva-vidas. Naquela época, importava se você fosse de classe baixa ou primeira classe, então aqueles que estavam em primeira classe foram autorizados a bordo antes de qualquer outra pessoa.

Isidor não queria embarcar nas embarcações salva-vidas e, em vez disso, instruiu a equipe a ajudar as mulheres e as crianças. Uma vez que Ida soube que seu marido não ia embarcar nos barcos, ela também não iria embarcar. O coronel Archibald Gracie IV, que era um dos sobreviventes, afirmou que ouviu Isidor perguntar ao oficial do convés se ele e sua esposa poderiam juntar-se quando todos os outros fossem resgatados.

Foi relatado que Isidor disse que “eu não irei antes de outros homens”. Foi depois dessa afirmação que Ida percebeu que não ia a lugar algum sem o marido dela. Ela deu seu casaco de peles à sua criada Ellen Bird, e a deixou embarcar em vez disso. Ida foi relatada dizendo que ela e seu marido viveram suas vidas juntos e morreriam juntos.

Foi informado que o navio afundou às 2:20 da manhã e o casal morreu em 15 de abril. Os barcos de busca foram posteriormente enviados para procurarem sobreviventes e cadáveres. O corpo de Isidor foi encontrado, mas o de Ida não. Junto de Isidor e Ida, quase 1.500 pessoas morreram naquela noite no que foi um dos mais mortíferos desastres dos tempos modernos.

Fonte: Providr