Britânico (Ed Stafford) se finge de morador de rua durante 60 dias, e revela que jamais dará esmolas novamente

Publicidade

Você provavelmente já o assistiu e deve ter aprendido algo sobre sobrevivência com Ed Stafford, um britânico que, após se aposentar de sua ocupação como soldado, passou a viver as aventuras que sempre quis em sua vida. Como por exemplo, ter se tornado o primeiro ser humano a atravessar toda a extensão do Rio Amazonas nadando.

Publicidade

Recentemente, Stafford participou de uma programa de televisão para a emissora “Channel 4”, intitulado “60 Days on the Streets” (60 Dias nas Ruas). A ideia era entender como funcionava a vida dos moradores de rua em diversas cidades do Reino Unido, e compreender por que essas pessoas viviam dessa forma. Stafford conseguiu fazer belas descobertas em seu “experimento”.

A realidade que Stafford encontrou nas ruas britânicas foi um tanto diferente daquela que ele imaginava. A começar pela questão da comida. “Eu fiquei chocado com a quantidade de comida que havia disponível. Eu pensei que fosse perder muito peso, a ponto de ser difícil resistir fisicamente. Mas na verdade há muita gente querendo ajudar, em todas as três cidades (Glasgow, Manchester e Londres)”, disse o ex-soldado ao DailyMail.

O protagonista do programa disse também que o dinheiro não foi um problema assim tão grande, que já ele diz ter conseguido fazer de 100 a 200 libras esterlinas em uma tarde. “Isso é mais do que uma pessoa consegue trabalhando em um emprego comum”, disse Stafford.

Durante a gravação do programa, Stafford descobriu que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, pelo menos em Glasgow, na Escócia, há realmente muita gente querendo ajudar.

Ele conta, por exemplo, que durante o tempo que passou como morador de rua na cidade escocesa, ele chegou a encontrar mais de 20 voluntários oferecendo ajuda.

Publicidade

De fato, toda essa ajuda fez com que ele ganhasse peso, em vez de perder, como pensava que iria acontecer. Ele diz ter ganho 5 quilos, e conforme contou em seu Facebook, os médicos lhe disseram que ele tinha muitas chances de desenvolver doenças cardíacas caso continuasse com a rotina de alimentação que tinha nas ruas.

Stafford também disse que encontrou outros “falsos moradores de rua” durante a sua aventura, ainda que a maioria das pessoas realmente não tenha escolhido este estilo de vida. Em muitos dos casos, as pessoas vivem na rua por problemas envolvendo drogas, álcool e outros vícios.

Na Grã-Bretanha, de forma semelhante ao que ocorre em algumas cidades do Brasil, existem órgãos públicos e instituições que buscam ajudar as pessoas em condição de rua oferecendo albergues e alojamentos para que possam viver de forma um pouco mais digna.

No entanto, como mostrou Stafford no programa, alguns moradores de rua acabam preferindo ficar longe dos albergues, pois com o dinheiro que precisariam gastar pelo alojamento (mesmo sendo uma taxa simbólica) podem manter seus vícios.

O que você achou desta aventura? Deixe nos comentários!

[Dailymail]

Publicidade

Share