fbpx

Arqueólogo reconstrói 14 rostos de pessoas que morreram há séculos

Publicidade

Publicidade

Oscar Nilson é um arqueólogo e escultor sueco que se especializou na reconstrução de rostos humanos, cada reconstrução realizada leva algo em torno de 200 horas. Mas ele costuma reconstruir os rostos dos crânios encontrados em suas escavações.

Com o auxílio de crânios impressos em 3D, ele esculpe à mão as características faciais. No ano de 1996, ele decidiu abrir uma empresa a O.D. Nilssons, que colabora com museus ao redor do mundo.

A empresa ajuda essas entidades a restaurar rostos de pessoas cujas sepulturas foram descobertas durante escavações arqueológicas.

Em um livro publicado o artista afirma “o rosto humano é um motivo que nunca deixa de me fascinar: a variação da estrutura subjacente, assim como a variedade de detalhes, parecem infinitas. E todos os rostos que reconstruo são únicos”.

Separamos 14 imagens sensacionais das reconstruções realizadas pelo arqueólogo:

14 – Rainha Huarmey

No ano de 2012 foi descoberta um tumba no noroeste do Peru, os responsáveis foram um grupo arqueológico polonês. o enterro havia sido realizado por povos da cultura indígena de Wari, que mais tarde se tornaria o Império dos Incas.

Nessa tumba em especial foram encontrados restos de 58 nobres de diferentes idades, enterrados com luxos como brincos de oro, uma taça de prata, ma machado cerimonial de cobre e coisas têxteis caras.

A mulher apelidada de Rainha Huarmey estava enterrada com os tesouros mais extravagantes que os demais e a imagem acima mostra como era o seu rosto quando estava viva.

13 – Uma jovem da Idade da Pedra

Esta mulher morreu com a idade de 20 anos e foi enterrada com um bebê no peito, o que sugere que sua morte foi ocasionada por um parto difícil. O DNA não estava muito preservado. Mas foi possível  concluir, a partir de outros túmulos daquele período, que se tratava de pessoas que moravam em Brighton no Reino Unido.

Estas pessoas não eram brancas e possuíam cor de pele semelhante à de pessoas modernas do norte da África.

12 – Estrid Sigfastsdotter

Essa mulher seria Estrid Sigfastsdotter, ela viveu no século XI. De acordo com runas encontradas no local do enterro, sua vida e famílias seriam influentes e ricas que moravam perto de Estocolmo, na Suécia.

Ela teria tido vivido uma vida longa, algo em torno dos 80 anos. O que é surpreendente, já que na era Viking, a expectativa de vida era de apenas 35 anos.

11 – Uma mulher neandertal

Já essa senhora teria vivido cerca de 45 a 50 mil anos atrás. Seus restos foram localizadas em 1848, em escavações em Gibraltar.

O arqueólogo responsável pela reconstrução afirma em sua conta no Facebook: “Finalmente algumas palavras sobre algo que pensei e lutei, quando vi esse rosto Neandertal tomar forma. O quão “humano” deveria parecer esse rosto? Afinal, eles não eram o Homo Sapiens.  Como mostram pesquisas recentes, os europeus dividem cerca de 2-4% de DNA com neandertais. Então eles devem ter sido muito  parecidos conosco, caso contrário, a prole não teria sido fértil.”

10 – Adelasius Ebalchus

Esse jovem e belo homem da Suíça viveu no século VIII d.C e foi apelidado de Adelaziy Elbakhusom (Adelasius Ebalchus) por pesquisadores.

Embora o esqueleto indique desnutrição e infecções crônicas,  ele possuía dentes saudáveis e bonitos, o que era muito raro na época. Aliás, essa foi a razão para que o arqueólogo o fizesse sorrindo.

09 – Viking

Publicidade

Esse homem supostamente era um viking sueco e viveu no século XI, esta foi a primeira vez que para a reconstrução da imagem viking foi possível coletar DNa suficiente para recriar a pele, cabelos e olhos.

O homem tinha cabelos ruivos, olhos azuis e pele clara, a idade estimada era de 45 anos.

08 – Neolítico primitivo

Esse rosto foi construído utilizando evidências forenses derivadas da análise do esqueleto. Ele representa um homem magro de 25 a 40 anos e que nasceu a 5.500 anos.

07 – Uma adolescente que viveu 9.000 anos atrás

07 mil anos antes de Cristo, Avgi vivia onde a Grécia moderna está localizada. Ela tinha 18 anos e testemunhou um momento histórico muito importante, o início da revolução agrícola.

06 – Homem da idade do ferro na Grã-Bretanha

Os ossos indicam que esse homem viveu há 2.400 anos, ele era forte e saudável.  Mas como muitas pessoas daquele tempo, morreu bastante cedo, com a idade entre 24 e 31 anos.

Ele possuía características agradáveis e uma estrutura dentária diferente, diastema. Seu corte de cabelo guarda semelhança com um penteado utilizado por muitas tribos germânicas da época.

05 – Birger Jarl

Bierger Jarl foi o governador da Suécia de 1248 até sua morte em 01 de outubro de 1266, em Västergötland.

04 – Um homem da era saxônica da Grã-Bretanha

Esse homem em particular, viveu algo em torno de 45 anos e seus ossos indicam que ele pode ter sido um soldado. Com estrutura óssea muito forte e abscessos permanentes ele perdeu vários dentes e parte da mandíbula superior, o que supõe que ele morreu no processo inflamatório. Além disso, ele carrega traços de ferimentos resultantes de atos violentos.

03 – Um homem da Idade do Bronze

Esse homem viveu há 3.700 anos, na Idade do Bronze.  Seu esqueleto demonstra evidências de desnutrição e anemia por deficiência de ferro, ele morreu quando tinha a idade em torno dos 25 a 35 anos.

02 – Um mulher que viveu na época Romano-Britânica

Esses restos mortais apontam que a mulher viveu uma vida difícil, envolvida em um trabalho físico pesado. Ela tinha entre 25 e 35 anos de idade.

Durante o processo de escavação foram encontrados perto do corpo unhas, o que poderia simbolizar várias superstições da época, ou apenas o resultado do fechamento inadvertido do caixão.

01 – Um medieval sueco de meia-idade

Nilsson, o arqueólogo afirma que “Finalmente, a reconstrução do homem medieval de meia-idade do interior da Suécia está acabada. Resultados de carbono 14 indicam que ele é de algum lugar durante o período de 1470-1630. No entanto, a análise de seu esqueleto mostra que ele sofria de acromiale, um defeito no osso do ombro com uma clara conexão com o uso pesado de armas! Então, talvez seja possível reduzir seu período para 1470-1540”.

Publicidade

Share