fbpx

Após grande tempestade passeador de cães encontra fóssil de 65 milhões de anos na praia

Publicidade

Publicidade

Passeador de cães afirmou ter tropeçado em um fóssil de 65 milhões de anos em uma praia de Somerset – graças ao nariz aguçado de seus cães.

Jon Gopsill, 54 anos, passeava com seus dois animais de estimação na costa de Stolford, Somerset, no sábado, quando eles farejaram um osso que acabou por fazer parte de um fóssil de um metro e meio de comprimento, exposto por tempestades recentes.

Gopsill, um arqueólogo amador, acredita que o fóssil é da ordem pré-histórica de criaturas marinhas semelhantes a toninhas conhecidas como ictiossauros que viveram durante o período jurássico.

O Dr. Mike Day, curador do departamento de Ciências da Terra do Museu de História Natural, confirmou que o esqueleto provavelmente pertencia a um ictiossauro.

“Olhando para este espécime, com base no número de ossos na pá peitoral, na aparente ausência de uma cintura pélvica, bem como no distintivo “palpite” das costas, é provável que sejam os restos de um ictiossauro”. disse.

“Não é possível identificar o tipo exato de ictiossauro apenas a partir dessas imagens.”

“Frequentemente vou à praia passear com meus cães e, quando a maré abaixa, saímos para as rochas porque eles gostam de brincar lá”, disse Gopsill.

“Estávamos na praia quando vi essa coisa e pensei “o que é isso?” então eu fui um pouco mais perto e pensei “uau””.

Publicidade

“Percebi que era algo incrível, material de qualidade para museus, assim que o vi, soube que havia encontrado algo especial.”

Pensei que era obviamente uma criatura marinha fossilizada, possivelmente um ictiossauro.

No dia seguinte, voltei a passear com um de meus filhotes, que me trouxe uma pedra que também continha um fóssil.

“Eu não podia acreditar, é impressionante – ensinei a ela o que são fósseis, mas não esperava que ela me trouxesse um.”

– Minha esposa diz que foi apenas sorte – acho que o clima da tempestade lavou muita lama que havia no local, para que as rochas ficassem um pouco mais expostas.

Gopsill, que trabalha como enfermeiro psiquiátrico, relatou suas descobertas à Somerset Heritage, bem como ao Museu de História Natural.

Com suas próprias rochas jurássicas e triássicas, as baías do norte de West Somerset são um ponto de acesso conhecido para descobertas fósseis, incluindo as cidades de Watchet e Kilve.

No ano passado, foram encontrados ossos da mandíbula inferior de um ictiossauro gigante de 26 metros na vila de Lilstock em Somerset – datando do período Triássico Final, cerca de 235 a 200 milhões de anos atrás.

Os ictiossauros não eram dinossauros, mas um grande grupo de répteis marinhos que eram mais abundantes durante o período geológico jurássico e desapareceram durante o período cretáceo – cerca de 145 a 66 milhões de anos atrás.

Os ictiossauros tinham em média de 2 a 4 metros de comprimento e eram semelhantes em aparência aos golfinhos atuais.

Que descoberta, não?

[DailyMail]

Publicidade

Share