fbpx

15 curiosidades sobre a maçonaria – uma das sociedades mais “ocultas” do mundo

Publicidade

Você com certeza já ouviu falar sobre a maçonaria e já deve ter se questionado do que se tratava. É comumente dito que a maçonaria está entre teorias da conspiração, illuminatis, rituais satânicos, entre várias outras coisas. Mas será mesmo? Confira agora conosco alguns fatos interessantes e mitos importantes sobre a maçonaria que talvez você não conheça:

15. A maçonaria não é uma sociedade secreta.

Publicidade

Se fosse secreta, pouco saberíamos sobre o que fazem, o local de suas sedes e as pessoas. Os maçons, porém, não possuem direito de revelar os segredos da ordem, mas possuem liberdade para dizerem que são maçons, o que a torna uma ‘sociedade discreta’.

14. Eles acreditam num Ser Supremo.

A maçonaria é uma ordem de busca por autoconhecimento através do pensamento racional e acreditam num Ser Supremo. Não existe um significado para as alegorias maçônicas. Cada maçom pode aceitar sua própria interpretação. Por exemplo, embora a crença em um Ser Supremo seja exigida nas estruturas estadunidenses, o ser pode ser o Deus cristão, o Deus islâmico ou algum outro.

13. Nos Estados Unidos, geralmente, estes são os requisitos para se tornar um maçom:

– Seja um homem que venha de sua própria vontade.

– Acredite em um Ser Supremo (a interpretação depende de cada pessoa).

– Seja um homem com a idade de 18 a 25 anos, dependendo da jurisdição. Em algumas jurisdições, o filho de um maçom, conhecido como “Lewis”, pode se juntar em uma idade mais precoce do que outros.

– Seja de boa moral e de boa reputação.

– Seja de mente e corpo saudável (líderes tinham no passado negado a entrada de um homem por causa de uma deficiência física, no entanto, agora, se um candidato potencial diz que uma deficiência não causará problemas, não haverá nada que o impedirá).

– Seja nascido de graça (ou “nascido livre”, ou seja, que não nasceu como escravo ou um fiador). Tal como acontece com o tópico anterior, este é inteiramente um debate histórico, e pode ser interpretado da mesma maneira que no contexto de ter o direito de escrever um testamento. Algumas jurisdições removeram esse requisito.

12. Quando se encontram, maçons não discutem religião ou política.

Há certos assuntos que são impedidos ou simplesmente evitados de discutir no local. Religião é um, política é outro.

A professora de história Margaret Jacob, uma das principais especialistas mundiais em Maçonaria, confirma.

“Eles discutem formas de política e eventos que aconteceram? Sim, eles discutem. Eles dizem:” Bem, eu sou um democrata e, portanto, penso assim… Ou, eu sou republicano…” Não, eles não fazem isso”.

11. Eles possuem graus/níveis.

Graus maçônicos é o nome atribuído a uma hierarquia escalonada de evolução dentro dos ritos existentes dentro da maçonaria.

Como é uma associação que busca o aperfeiçoamento intelectual e social do homem, realizam suas intenções dentro de uma estrutura que se organiza em ritos, estes são divididos escalonadamente em 33 “graus”.

10. Ateus não são bem-vindos.

A maçonaria não é uma religião, mas agnósticos ou os ateus não podem ser membros, disse Brent Morris, um historiador maçônico, editor do Scottish Rite Journal e maçom de 33º grau.

“Esta é uma organização de crentes”, disse ele. “Quando a organização começou em uma base formal em 1717, muitos historiadores acreditam que estavam tentando tapar o buraco entre as guerras civis religiosas que estavam acontecendo na Inglaterra na época. Os católicos ficariam no poder e bateriam nos protestantes, os protestantes ficariam no poder e bateriam nos católicos, e todos estavam batendo nos judeus.

“Então, quando os maçons foram formados, [eles] disseram: “Aqui está um grupo de homens que concordam que Deus é central em suas vidas. Eles podem até concordar que Deus os obriga a fazer o bem na comunidade, e depois calarem-se em suas diferenças religiosas.” Esse era um conceito radical – que os homens poderiam reunir-se e concordar com esse nível fundamental, e depois continuar suas vidas”.

Publicidade

Então, um ateu pode se juntar? Não, disse James Sullivan, Grão-Mestre da Grande Comunidade de Nova York: “O motivo pelo qual, no passado, penso que seria necessário um homem com a crença em um ser supremo é porque assumimos a obrigação de ser um bom homem, de apoiar a fraternidade. E se um homem não tivesse a crença em um ser supremo, a obrigação não significaria nada”.

9. A Igreja Católica condena a Maçonaria.

Margaret disse que a resposta inicial à Maçonaria na Europa continental, particularmente na Europa católica, era a suspeita de ver “todos esses homens de diferentes bairros, diferentes profissões se reencontrando em uma cafeteria, fazendo rituais, o que poderia ser isso? Conspiração ou religião”.

Em 1738, a Igreja Católica condenou a Maçonaria e emitiu cerca de 20 decretos – direta ou indiretamente – contra a fraternidade. Em 1983, o cardeal Joseph Ratzinger (o futuro Papa Bento XVI) reafirmou esta posição.

8. A maioria das teorias de conspiração cercam a Maçonaria giram em torno de três falsas suposições:

– Que a Maçonaria é a sua própria religião, exige crença em um único “deus” maçônico, e essa crença neste “deus” maçônico é contrária aos ensinamentos de várias religiões convencionais (embora geralmente seja observada em termos de ser especificamente contrário à crença cristã).

– Que o 33º grau do rito é mais do que um grau honorário, juntamente com a crença de que a maioria dos maçons não tem conhecimento de órgãos governantes ocultos ou secretos dentro de sua organização que os governam. Que realizam rituais ocultos ou controlam vários cargos de poder governamental.

– Que existe um organismo mundial centralizado que controla todas as ordens maçônicas e, assim, toda a maçonaria mundial atua de maneira unificada.

7. Não são Illuminatis

As conspirações ligam os maçons para os Illuminati. No entanto, é extremamente improvável porque os Illuminati são uma sociedade inteiramente secreta, na medida em que a maioria das pessoas não acredita que existam na sociedade moderna. Enquanto na maçonaria as pessoas são inteiramente livres para divulgar que são membros da ordem.

6. “Pedreiros”

A palavra maçom vem do inglês mason, que significa pedreiro. O símbolo maçônico do quadrado e da bússola é tem ligação com os pedreiros, mas é metafórico, referindo-se ao edifício filosófico que o maçom faz – provavelmente algo ligado a autoconstrução como pessoa – embora a interpretação específica varie entre as ordens.

5. Presidentes eram maçons

George Washington, Benjamin Franklin e Paul Revere eram presidentes estadunidenses maçons. Estes dois últimos, por incrível que pareça, foram uns dos fundadores.

4. Hitler e os maçons

Hitler acreditava que os maçons eram uma ferramenta dos judeus e sob o regime nazista, estima-se que entre 80.000 e 200.000 maçons foram assassinados.

3. Estima-se que existam seis milhões de maçons no mundo hoje.

2. Oito das pessoas que assinaram a Declaração de Independência dos EUA eram maçons.

1. Charles Darwin era um maçom.

Publicidade

Share