fbpx

10 das descobertas mais excêntricas já feitas dentro de estátuas

Publicidade

As estátuas tem sido utilizadas ao longo da evolução da humanidade para representar as mais diversas crenças, valores, sentimentos e muitas delas chegam a esconder algo mais, como mistérios e segredos.

Nesta lista você irá descobrir algumas coisas curiosas e no mínimo excêntricas que foram “achadas” dentro de estátuas.

Publicidade

Confira só!

10 – O esqueleto de um monge budista dentro de uma estátua de Buda

Nos anos 90, os restos mortais de um monge budista falecido há mil anos foram localizados dentro de uma estátua de Buda. Esse fato revelou um ato de extrema devoção que era praticado pelos monges da época.

De acordo com os estudos em torno do achado indicam que esse procedimento foi realizado após um processo chamado de “auto-mumificação”. Nesse processo, o próprio monge mumificava seu corpo enquanto morria lentamente.

Depois de morto, seu corpo era enterrado e posteriormente exumado por outros monges, que verificavam se ele realmente havia sido preservado ou se já havia entrado em decomposição. Somente se a mumificação tivesse dado certo é que o corpo seria revestido pela estátua.

O caso dos anos 90 é o único conhecido até então.

09 – Artefatos misteriosos dentro de outra estátua budista

Parece que os budistas realmente gostavam de esconder coisas dentro de estátuas. Recentemente, foi descoberto através de escaneamentos usando tecnologias muito modernas, que outra estátua japonesa de mil anos atrás esconde um tesouro. Trata-se de diversos artefatos antigos e pergaminhos nunca descobertos antes.

Essa estátua ficava no templo Hokke-ji, na cidade japonesa de Nara, o local costumava ser a capital do país entre 710 e 794, e durante anos se imaginou que ela poderia esconder algum tesouro.

Mas antes não seria possível descobrir o que a estátua escondia sem destruir a obra de arte por completo, somente agora, com a tecnologia moderna de escaneamento 3D é que os cientistas foram capazes de analisar o interior da estátua.

08 – Uma cápsula do tempo dentro de uma estátua de Jesus Cristo

Uma estátua de Jesus Cristo, intitulada de “Cristo Rei Misere”, que ficava na igreja de Santa Águeda, na Espanha, guardava um segredo inesperado e que só foi descoberto durante um procedimento de restauração.

A estátua que é oca, tinha seu interior repleto de cartas de 1777, assinadas por um capelão chamado Joaquin Mínguez, da catedral de Burgo de Osma. As cartas relatavam como era a vida na época, incluindo tipos de plantação feitos na região, a ordem econômica e social do país e as doenças mias comuns na época, como a febre tifóide.

Parece que a intenção era fazer das cartas uma espécie de “cápsula do tempo” para as próximas gerações.

07 – Dentes humanos em uma estátua de Jesus

No ano de 2014, uma descoberta chocou pesquisadores do México, que encontraram dentes humanos em uma estátua de Jesus Cristo de aproximadamente 300 anos de idade.

A obra conhecida por “Jesus da Paciência”, passava por restauração, quando especialistas notaram a presença de dentes humanos reais na região da boca da figura. O motivo exato para os dentes serem colocados ali ninguém sabe ao certo.

Contudo, não é novidade que os mexicanos antigos costumavam usar partes do corpo humano, como cabelos, unhas, e, como observado nesse caso, dentes para ornamentarem estátuas.

Acredita-se que os dentes tenham pertencido a um devoto que tinha vontade de que seus dentes fossem doados para a Igreja Católica.

06 – Uma estátua feita de cocaína

Publicidade

Tentando disfarçar a droga, traficantes dos Estados Unidos misturaram 3 kg de cocaína com outra substâncias e moldaram uma estátua de Jesus Cristo que, posteriormente, seria pintada.

O que eles não esperavam, é que um cão farejador altamente treinado seria capaz de perceber que havia algo estranho na estátua. Isso chamou a atenção de funcionários do aeroporto e após análises foi confirmada a presença da droga. Estima-se que a quantidade presente na estátua pudesse valer cerca de 30 mil dólares.

05 – Garrafa com mensagens em uma estátua da Praça Tiradentes, em Curitiba

Também durante um procedimento de restauração, mas desta vez em uma estátua inaugurada em 19938, na Praça Tiradentes, em Curitiba, foi encontrada em 2013 uma garrafa com uma série de escritos e peças de metal.

A estátua feita por João Turin, que viveu entre 1878 e 1949, guardava registros da inauguração da estátua em seu local atual, além de uma provável cápsula do tempo que estaria enterrada em outro lugar da praça.

04 – Chaves e cartas de amor em uma estátua de Julieta, a protagonista do romante Romeu e Julieta

Em 2015, no período do Dia dos Namorados, especialistas italianos restauravam uma estátua de Julieta, quando perceberam que ela estava cheia de cartas de amor e chaves em seu interior.

Os especialistas defendem que os objetos tenham sido colocados dentro da estátua por meio de pequenas fretas e rachaduras que a peça apresentava há anos. Isso seria resultado da ação do tempo e do comportamento de visitantes  turistas, que costumam tocar na estátua em busca de boa sorte.

03 – Estátua de outro escondida por mais de um século dentro de outra estátua

Uma estátua de 2,7 metros, intitulada “Phra Phuttha Maha Suwan Patikamon” (pausa para respirar), chegou em Bangkok, na Tailândia em 1801. Coberta por estuque, uma espécia de argamassa feita com gesso, areia, mármore e cal, essa peça nunca chegou a chamar muita atenção.

Passando de templo em templo, ela parou no templo de Wat Traimit em 1935, quando foi exposta ao ar livre, do lado de fora do local, apenas um pequeno telhado a protegia da ação da natureza e do tempo.

Depois de vinte anos, quando preparam para transportar a estátua novamente, ela caiu e rachou de forma considerável, revelando um segredo escondido por mais de um século. O estuque era um “disfarce”, por trás dele estava uma estátua feita de ouro maciço, que era dividida em 09 blocos, que se desconectavam para o transporte da peça.

Estima-se que a estátua tenha sido feita durante o século 14, mas não se sabe ao certo os motivos para que ela fosse coberta com a camada de estuque.

02 – Dinheiro Antigo

Não faz muito tempo, em 2016, um grupo de especialistas australianos encontraram uma espécie muito antiga de dinheiro dentro de uma estátua chinesa que representava a cabeça de Buda. O papel-moeda, impresso em meados de 1371, valia cerca de 100 moedas de bronze da época, e contava até mesmo com mensagens que incentivavam os chineses a denunciar malfeitores, que na época eram executados por decapitação.

De acordo com especialistas, cuida-se de uma das formas mais antigas de dinheiro em papel já utilizadas pela humanidade. Na Europa, para se ter uma ideia, o papel só começaria a ser utilizado como dinheiro cerca de 300 anos depois. Antes disso, apenas moedas tinham esse tipo de valor de troca.

Essa descoberta aconteceu por acaso, quando a estátua estava sendo prepara para ser oferecida em um leilão.

01 – Escritura do século 14 em uma escultura budista

Parece que os budistas realmente gostam de mistérios, uma escritura da dinastia Goryeo foi encontrada em 2017 dentro de uma estátua de Buda. A estátua que ficava no tempo de Silsangsa, em Jeolla do Norte, Coreia do Sul, escondia os escritos do século 14.

Esses escritos são a reprodução do volume 396 do Mahaprajnaparamita Sutra, e são parte de uma coleção de aparentemente quatro peças semelhantes. Sendo que outras três já foram encontradas em outros momentos, também na Coreia do Sul.

 

 

Publicidade

Share