Uma misteriosa estátua descoberta na Sibéria possui o dobro da idade das pirâmides

0 1.996

Publicidade

No final da última Era do Gelo, quando mamutes ainda andavam pela Terra, um grupo de pessoas na Sibéria derrubou uma árvore e começou a esculpir uma forma humana. O que eles queriam representar com a “estátua” ainda é um mistério, mas novas pesquisas revelaram que ela possui o dobro da idade das Grandes Pirâmides de Giza.

Publicidade

A pesquisa, publicada na revista ‘Antiquity’, não apenas indicou a idade da estátua, mas também lançou algumas ideias sobre sua possível utilidade. Descoberta em 1894, a estátua estava enterrada a 4 metros de profundidade em um pântano localizado na Sibéria chamado de ‘Shigir – por isso a estátua é chamada de ‘Ídolo de Shigir’.

Desenterrada parte por parte, ficou constatado no final das escavações, em 1914, que a escultura primitiva teria incríveis 5,3 metros de altura – ainda que a estátua tenha tido alguns pedaços perdidos com o tempo.

Zhillin et al. 2018

Mas somente cem anos depois é que os cientistas conseguiram analisar com maior tecnologia a estátua, podendo enfim descobrir a sua idade. Utilizando a datação por radiocarbono, os cientistas determinaram que ela tinha cerca de 9800 anos de idade. Na época isso foi um verdadeiro estrondo no meio científico, com muitos acadêmicos duvidando das descobertas, alegando que era muito tempo para um objeto de madeira.

No entanto, a datação por radiocarbono realizada na época não foi totalmente precisa. Por isso, os pesquisadores decidiram reexaminar a estátua. Utilizando técnicas modernas, ficou constatado que o Ídolo de Shigir foi esculpido em um único tronco de madeira há 11600 anos – o dobro da idade das pirâmides do Egito, e a mais antiga arte em madeira já conhecida.

Zhillin et al. 2018

Um fato interessante sobre a descoberta é que o estilo e a imagem do Ídolo de Shigir é incrivelmente similar a outras estátuas da Era do Gelo descobertas na Turquia, tendo como difereça somente o material utilizado em sua construção.

Isso sugere que a cultura de esculpir essas obras de arte não se originaram em apenas um lugar durante a Era do Gelo, e sim em várias regiões ao mesmo tempo. O que levou os seres humanos a desenvolverem essa cultura ainda não é totalmente compreendido, entretanto, mas levanta grandes questões sobre a nossa cultura e nossas crenças.

[IFLScienc]

Publicidade