Um surpreendente tubarão de 512 anos é capturado por biólogos marinhos

0 728

Publicidade

Ao longo da história, muitas descobertas foram feitas no vasto mundo das espécies animais. Das raças mais novas às antigas, elas podem ser rastreadas até as mais ancestrais que já vagavam pelo nosso planeta desde seu início. Em uma das descobertas mais inovadoras, cientistas dinamarqueses capturaram um tubarão que acreditam que poderia ter 512 anos, remontando aos tempos de William Shakespeare.

Publicidade

No que poderia ser o vertebrado vivo mais antigo já descoberto, o tubarão-da-groenlândia mede chocantes 18 metros de comprimento. Sua idade é determinada pelo seu comprimento e é considerado o mais antigo de um grupo de 28 tubarões que foram analisados ​​em um estudo.

Capturado no Oceano Atlântico Norte, o autor principal da pesquisa da Universidade de Copenhague, Julius Nielsen, descobriu este tubarão junto de uma equipe de biólogos marinhos. Conhecido por crescer apenas um centímetro por ano, esta espécie é conhecida por viver por centenas de anos, alguns dos quais existem há mais de 400 anos. Até antes dessa descoberta, o tubarão mais antigo encontrado tinha 392 anos. Estudos por pesquisadores revelam “séculos de longevidade nos tubarões-da-groenlândia”.

Considerando esta possibilidade, esse tubarão em particular poderia ter estado vivo durante alguns dos eventos mais importantes registrados do mundo. Guerras Mundiais, o naufrágio do Titanic e até a fundação dos Estados Unidos, esse tubarão superou e resistiu alguns tempos notáveis.

Vivendo principalmente de peixes, este tipo de tubarão não foi observado caçando, embora restos de cavalos, ursos polares, alces e renas tenham sido rastreados antes. O seu exterior, que foi considerado como uma iguaria na Islândia quando devidamente tratado, pode ser tóxico, contendo um produto químico que deixará você se sentindo como se estivesse bêbado.

O pesquisador líder, professor Kim Praebel, afirma que esses tubarões eram “cápsulas do tempo vivas” que poderiam ajudar a “dar uma luz sobre o impacto humano nos oceanos”. Anteriormente, o animal mais antigo encontrado foi um molusco islandês conhecido como um quahog oceânico, datado em 507 anos, que foi eventualmente assassinado pelos próprios cientistas que tentavam determinar sua idade.

Esta nova descoberta poderia fornecer informações vitais sobre as espécies de tubarões e é uma revelação fascinante sobre a longevidade de seu tipo. Nielsen afirmou: “Isso definitivamente nos diz que essa criatura é extraordinária e deve ser considerada um dos animais mais antigos do mundo”, justificando mais profundamente suas origens que podem ser rastreadas e datadas do tempo dos dinossauros.

Fonte: Providr

Publicidade