Incríveis fotos aéreas mostram uma ilha ancestral perdida no meio do Oceano Pacífico

0 190

Publicidade

Novas imagens de uma cidade antiga no meio do Oceano Pacífico provocaram teorias de que a ilha ficcional da Atlântida poderia ser real. Os avanços tecnológicos significam que os arqueólogos podem explorar completamente a cidade arruinada de Nan Madol e suas maravilhas estruturais. O último episódio de What’s on Earth? do Science Channel revelou novas imagens aéreas do local, que foi construído por cima de uma lagoa.

Publicidade

Como a cidade é separada por canais de correntes e é protegida pelo oceano por 12 muros marinhos, Nan Madol é frequentemente chamada de “Veneza do Pacífico”.

Mark McCoy, que liderou a equipe de pesquisadores, disse: “Agora parece que Nan Madol representa um primeiro passo à descoberta da história da Ilhas do Pacífico. Para mim, parece bastante claro que Nan Madol era uma capital”.

“Ela era a sede do poder político, o centro dos mais importantes rituais religiosos e o lugar onde os ex-chefes da ilha descansavam”.

Nan Madol foi a capital do misterioso povo Saudeleur até 1628 e ainda é considerada uma “maravilha de engenharia”. O reino passou vários séculos criando as estruturas de pedra que ainda ficam em 92 ilhas artificiais em uma lagoa ao largo da costa da ilha de Pohnpei.

O nome Nan Madol significa “espaços entre” e é uma referência aos canais de correntes que atravessam as ruínas.

De acordo com o Smithsonian, os edifícios que compõem Nan Madol incorporam cerca de 750 mil toneladas de rochas escuras.

Os Saudeleurs devem ter tido a necessidade de mover 1.850 toneladas por ano, apesar de uma população de apenas 30 mil pessoas e sem acesso a polias e alavancas.

A cidade, descoberta em 1928, influenciou o autor H. P. Lovecraft, que admitiu que era a base de sua cidade ficcional de R’lyeh, de sua história “O Chamado de Cthulhu.”

Fonte: Daily Mail

Publicidade